Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 31 de julho de 2011


Existem limites na vida de um ser humano até para a dor, humilhaçoes, fraquezas...me sinto tão suja de ter permitido que vc me fizesse sofrer todo esse tempo....
Não tem água que me faça me sentir limpa de vc!!!!!!!!
Eu te odeio em tds os instantes e por todo resto da minha vida...
Existem outras possibilidades para se amar, essa sua opção é a mais sofrivel....o despreso....
A partir desse momento me dispo de ti e pode ter certeza que dessa vez épra sempre!
A tua covardia


Preencheu o meu quadro de vida


Cinza, preto, mesclado de ventania


Nele pinto a mulher amante


Por ti esquecida…


Quadro de vida,


Sem tonalidade brilhante

Me alto perdoo pelo pecado de amar demais....silencio a partir de hoje minha alma de vc......vou me buscar, me achar na escuridão tenebrosa de uma dor que nunca mais vou permitir que ninguém me faça sentir ....
Talvez por alguns dias eu deixe de se a Aninha de uns, Ana de outros, Anjo, florzinha do ro Rose França.....amada tanto , por tantos....
Mais volto recomposta e limpa, vou faxinar minha vida e procurar um sentido pra ela....
Preciso de mim de volta.... AMO VCS!

sábado, 30 de julho de 2011

Ja nem sinto o sal das minhas lagrimas , nem a ausencia dos meus penssamentos ...
Ja não sinto meu corpo, minha alma vaga fora dele a procura de sua presença, e em mim so existe um raio de vida!
Já não mais sinto o apelo da minha esperança de que existe um "EU" depois de vc....me existi antes, durante e me perdi no depois....AC
Quanto tempo um coração remendado pode suportar a ausencia forçada por esse orgulho que te faz me ignorar???????
Desisti de mim no momento em que me vi viciada em vc, viciada em um amor , Onde a distancia não é o único problema mas sim sua insensatez .
Só é perdoado quem perdoa...e na mesma proporção que se ama se é amado...
Então por que esse amor parou de existir ?????????????????
Quantas vezes tenho que me expor em nome desse amor egoísta que me transformou em um ser humano amargo e sem forças para te tirar da minha vida.
Quero um espaço para novas lembranças , um coração pulsando , um sorriso verdadeiro...
Ao menos devolve minha vida , o brilho da minha alma , para que eu possa me encontrar na certeza de que não existes mais.....AC

Minha saudade vai muito além , de onde um coração permite...
Éis a aceleração da minha respiração,
O acordar dos meus sonhos.
Esse amor que me torna escrava de tuas lembranças e teu desprezo.
Amor, sinto o tom da tua voz , me  sinto em estado de estase em saber que em algum lugar do mundo vc existe e vez ou outra se não por amor , por outro qualquer sentimento , vc me lembra....
Se isso é loucura não sei, mais sei que é amor de verdade, e vou guarda-lo atéque minhas forças e esperanças se esgotem....
Não ter vergonha de amar e não ser amada , não tenho, pois é esse sentimento que me permite acordar tds os dias , e mesmo em lagrimas , sorrir quando sei que estás bem....
Não me esqueci...
não me perde...
não me deixa tão solta, tão só.......tão sem vc! AC

sexta-feira, 29 de julho de 2011


Por que não somos capazes de cumprir as promessas do dia anterior? " me prometo acordar diferente , sorrindo pro mundo, esquecendo o passado e fazer um novo presente....
Como alguém consegue mentir tanto pra si mesma , recomeçar é a coisa mais difícil , sofrida, vc pede pra sua cabeça pensar em algo diferente, mais automaticamente chega numa velocidade enorme o mesmo que te faz acordar mal....
Como mandar nesse bendito coração? falo sempre esvazia coração, da uma chance nova pra mim, mais ele se faz de surdo e continua deixando dentro o indesejável , o que ja foi.....
Até quando??????????
até nunca ,pois esse é meu carma......viver eternamente na ausencia de mim! pura solidão acompanhada do vazio da minha alma....AC
Por que não somos capazes de cumprir as promessas do dia anterior? " me prometo acordar diferente , sorrindo pro mundo, esquecendo o passado e fazer um novo presente....
Como alguém consegue mentir tanto pra si mesma , recomeçar é a coisa mais difícil , sofrida, vc pede pra sua cabeça pensar em algo diferente, mais automaticamente chega numa velocidade enorme o mesmo que te faz acordar mal....
Como mandar nesse bendito coração? falo sempre esvazia coração, da uma chance nova pra mim, mais ele se faz de surdo e continua deixando dentro o indesejável , o que ja foi.....
Até quando??????????
até nunca ,pois esse é meu carma......viver eternamente na ausencia de mim! pura solidão acompanhada do vazio da minha alma....AC

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Ah, insensatez que você fez
Coração mais sem cuidado
Fez chorar de dor o seu amor
Um amor tão delicado

Ah, por que você foi fraco assim
Assim, tão desalmado?
Ah, meu coração
Quem nunca amou
Não merece ser amado

Vai, meu coração, ouve a razão
Usa só sinceridade
Quem semeia vento, diz a razão
Colhe sempre tempestade

Vai, meu coração, pede perdão
Perdão apaixonado
Vai, porque quem não pede perdão
Não é nunca perdoado

Me perdoa sr. pelo bem que não fiz, pela graça que não agradeci,pelo amigo que magoei, por achar que meu problema é maior que o dos outros e principalmente pela atenção que deixe dedar ao teus ensinamentos.
Meu coração ta aberto sr,e a ti entrego minha vida, toma conta dela e faz com ela segundo a sua vontade...
Me liberta da dor, das mágoas, dos piores sentimentos que nunca fui capaz de revelar-te....
Me perdoa por amar demais e achar que devia ser amada da mesmo jeito.
Perdoa tbm a quem tanto me magoou , que ele consiga se feliz ,como estou me preparando para ser.
obrigada pelos amigos,familia e abençoe a mim e a tds. AMÉM! AC

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Oração

Amigo...
Na fadiga dos nossos dias, frequentemente esquecemo-nos de elevar uma prece ao Senhor, mas geralmente não nos esquecemos de verificar o nosso e-mail. Por esta razão, tomei a liberdade de postar essa mensagem que nos faz recordar Deus e fazer uma pequena oração…

Não te apoquentes… só tomará uns minutos.

"Meu Deus...
Ajuda-me a dizer a palavra da verdade na cara dos fortes, e a não mentir para obter os aplausos dos débeis.

Se me dás dinheiro, não tomes a minha felicidade, e se me dás forças, não tires o meu raciocínio.

Se me dás êxito, não me tires a humildade, se me dás humildade, não tires a minha dignidade.

Ajuda-me a conhecer a outra face da realidade, e não me deixes acusar os meus adversários, acusando-os de traidores, porque não partilham o meu critério.

Ensina-me a amar os outros como amo a mim mesmo, e a julgar-me como o faço com os outros.

Não me deixes embriagar com o êxito, quando o consigo, nem a desesperar, se fracasso. Sobretudo, faz-me sempre recordar que o fracasso é a prova que antecede o êxito.

Ensina-me que a tolerância é o mais alto grau da força e que o desejo de vingança
é a primeira manifestação da debilidade.

Se me despojas do dinheiro, deixa-me a esperança, e se me despojas do êxito, deixa-me a força de vontade para poder vencer o fracasso.

Se me despojas do dom da saúde deixa-me a graça da fé.

Se causo dano a alguém, dá-me a força da desculpa, e se alguém me causa dano, dá-me a força do perdão e da clemência.

Meu Deus... se me esquecer de Ti
Tu não Te esqueças de mim! Amém!"

MAHATMA GANDHI
Poderá também gostar de:

PAZ PARA TODOS!!

PAZ PARA TODOS!! 

P.S.: No espaço entre os pensamentos e os sentimentos, o infinito fala no silêncio.

E o que é dito na câmara secreta do coração, ouvidos profanos não podem ouvir.

Quem, em seu coração, compreende isso, compreende o que as palavras não dizem.

Isso não se explica, só se sente... Só se sente... Só se sente... 

Paz e Luz.

Olhe para trás

Olhe para trás! Está vendo o caminho percorrido? Entre quedas e tropeços, subidas e descidas, momentos bons e ruins, chegamos até aqui. Vivemos histórias que não pertencem a ninguém mais. Guardamos na memória fatos que máquina nenhuma no mundo conseguirá revelar. Fazem parte das nossas lembranças, nossos passos e da pessoa única que somos.

Mas, infelizmente, temos o hábito de guardar cicatrizes do que nos fez infelizes e olharmos como uma lembrança distante e apagada o que nos deu alegria.

É possível ressentir uma grande dor com grande intensidade, trazendo à tona as mesmas emoções vividas. Mas como é difícil ressentir do mesmo jeito uma felicidade que um dia nos fez vibrar!

O ideal seria inverter as situações.

Guardar na pele e na alma cicatrizes do que nos fez bem e nos lembrar do mal sem muita nitidez.

Guardar das pessoas o lado bom, o bem que nos fizeram e o que de bom vivemos juntos.

Talvez devesse constar com mais frequência as palavras "perdão" e "compreensão" no nosso dicionário.

De vez em quando digo: olhe para trás.

Mas não se volte completamente!

Olhe apenas o bastante para se lembrar das suas lições para que estas te sirvam no presente. Não lamente o que ficou, o que fez ou deixou de fazer. O que é importante seu coração carrega.

Olhe diante de si!

Há esse véu encobrindo o que virá, deixando entrever apenas o que seus sonhos permitem. Mas existe dentro de você uma sabedoria de alguém que desbravou alguns anos da história.

Existe dentro de você uma força que te torna capaz!

O dia chega insistente como as marés do oceano: às vezes calmo, outras turbulento, mas presente sempre.

Viva sempre! Cada noite dormida é uma vitória, cada manhã, um novo desafio. E você nunca está sozinho, mesmo quando se sente solitário. Todo o seu passado está gravado em você, como gravadas estão as pessoas que você amou.

Levante esse véu pouquinho a pouquinho a cada amanhecer, sem pressa, saboreando a vida como uma aventura, nem sempre como um mar calmo e tranquilo, mas possível, muito possivelmente vitoriosa.

Construa hoje as suas marcas de amanhã!

Letícia Thompson
Poderá também gostar de:

Quando as estrelas não aparecem...


Quando fico no escuro
E as estrelas aparecem
Não importa a situação
Os dedos tocam os sonhos
E te buscam na eternidade
De uma canção.

Cansei de andar só
Como um pardal na chuva
E sem usar as máscaras permitidas
Mal consigo sobreviver...

Para fechar o ciclo
Não busco piedade
Sigo pela estrada, caminhando...

Quando as trevas se fecham em delírios
Quando as estrelas não brilham
Lágrimas queimam a minha alma
E escurecem a minha noite.

Delasnieve Daspet
Poderá também gostar de:
u tenho meu lado carinhoso. Tenho um lado estressado. Tenho um lado preguiçoso. Tenho meu lado engraçado. Tenho um lado irônico. Tenho um lado insuportável. Tenho um lado amável. E cada um tem o meu lado que merece.Música: King of Thieves - Christina Grimmie
Seus sonhos só são os primeiros passos até a realização. 
» tagged   MEUSTEXTOS  
Eu sorrio porque é mais fácil explicar o motivo de um sorriso, que um motivo de uma lágrima. 
» tagged   MEUSTEXTOS  
Suas atitudes são o que definem a pessoa que você é, então cuidado para não tropeçar nas escolhas erradas e cair em um poço de arrependimentos. 
» tagged   MEUSTEXTOS  

Dói acordar e ver que tudo não se passavam de mais sonhos. Dói acordar e ver que você não está aqui.  
» tagged   FPT  
Odeio gente que se faz de vítima. Odeio gente que se faz de anjo. Se alguém aqui fosse santo estava no céu.    
» tagged   FPT  
» via  FUKINGPERFECT   (originally  FUKINGPERFECT)

Dicas: Não me peça perdão se não estiver arrependido. Não diga que me ama, sem ao menos me conhecer. Não tente me mudar, você não iria conseguir mesmo.   
» tagged   CAROLN  
Eu tenho vocação para decepcionar os outros. E os outros tem mania de esperar muito de mim. 

Vivo um pesadelo, e me sustento com meus sonhos. 

Sofrimento

Como podemos fazer sofrer tanto quem amamos
Sendo inconseqüentes em muitos de nossos atos
É um auto-flagelo das coisas boas que carregamos
Momento de imperfeição do desalento espírito revelado.

Não há motivos que expliquem a falta estampada
Uma vez que no amor cedemos um fragmento de nós
Seria óbvio cuidá-lo com afago evitando a mágoa
Desatando os entrelaços do egoísmo feroz.

A face da sua dor nunca se revelará completa a minha
Visto que a culpa pode encobrir-se por mascaradas atitudes
As quais só podem brotar férteis sementes da solidão.

Por isso desculpe-me por te fazer sofrer
Pois sei que o amor se recupera ao sofrimento
Mas não oculta as cicatrizes do coração.

Autor: Jorge Jacinto da Silva Junior

Eu envelheci...

Um dia desses uma jovem me perguntou como eu me sentia sobre ser velha. Levei um susto, porque eu não me vejo como uma velha. Ao notar minha reação, a garota ficou embaraçada, mas eu expliquei que era uma pergunta interessante, que pensaria a respeito e depois voltaria a falar com ela.

Pensei e concluí: a velhice é um presente. Eu sou agora, provavelmente pela primeira vez na vida, a pessoa que sempre quis ser. Oh, não! Meu corpo! Fico incrédula muitas vezes ao me examinar, ver as rugas, a flacidez da pele, os pneus rodeando o meu abdome, através das grossas lentes dos meus óculos, o traseiro rotundo e os seios já caídos. E constantemente examino essa pessoa velha que vive em meu espelho (e que se parece demais com minha mãe), mas não sofro muito com isso.

Não trocaria meus amigos surpreendentes, minha vida maravilhosa, e o carinho de minha família por menos cabelo branco, uma barriga mais lisa ou um bumbum mais durinho. Enquanto fui envelhecendo, tornei-me mais condescendente comigo mesma, menos crítica das minhas atitudes.

Tornei-me amiga de mim mesma. Não fico me censurando se quero comer um bolinho-de-chuva a mais, ou se tenho preguiça de arrumar minha cama, ou se compro um anãozinho de cimento que não necessito, mas que ficou tão lindo no meu jardim. Conquistei o direito de matar minhas vontades, de ser bagunceira, de ser extravagante.

Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento. Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar paciência no computador até às 4 da manhã e depois só acordar ao meio-dia?

Dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos das décadas de 50, 60, 70 e se, de repente, chorar lembrando de alguma paixão daquela época, posso chorar mesmo!

Andarei pela praia em um maiô excessivamente esticado sobre um corpo decadente, e mergulharei nas ondas e darei pulinhos se quiser, apesar dos olhares penalizados dos outros. Eles, também, se conseguirem, envelhecerão.

Sei que ando esquecendo muita coisa, o que é bom para se poder perdoar. Mas, pensando bem, há muitos fatos na vida que merecem ser esquecidos. E das coisas importantes, eu me recordo freqüentemente.

Certo, ao longo dos anos meu coração sofreu muito. Como não sofrer se você perde um grande amor, ou quando uma criança sofre, ou quando um animal de estimação é atropelado por um carro?

Mas corações partidos são os que nos dão a força, a compreensão e nos ensinam a compaixão. Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser forte, apesar de imperfeito.

Sou abençoada por ter vivido o suficiente para ver meu cabelo embranquecer e ainda querer tingi-los a meu bel prazer, e por ter os risos da juventude e da maturidade gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto. Muitos nunca riram, muitos morreram antes que seus cabelos pudessem ficar prateados.

Conforme envelhecemos, fica mais fácil ser positivo. E ligar menos para o que os outros pensam. Eu não me questiono mais. Conquistei o direito de estar errada e não ter que dar explicações . Assim, respondendo à pergunta daquela jovem graciosa, posso afirmar: “Eu gosto de ser velha”. Libertei-me!
Gosto da pessoa que me tornei. Não vou viver para sempre, mas enquanto estiver por aqui, não desperdiçarei meu tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupando com o que virá. E comerei sobremesa todos os dias e repetirei, se assim me aprouver…

E penso que nunca me sentirei só. Sou receptiva e carinhosa, e se amizades antigas teimam em partir antes de mim, outras novas, assim como você, vêm a mim buscar o que terei sempre para dar enquanto viver: experiência e muito amor…
Poderá também gostar de:

Doidas e santas

"Estou no começo do meu desespero e só vejo dois caminhos: ou viro doida ou santa".
São versos de Adélia Prado

Mas vamos lá. Prá começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa. Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe? Nem ela, caríssimos, nem ela.

Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações que desanimou. Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá que deixou de ter vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores que passou a se contentar com dias medíocres. Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais.

Santa mesmo, só Nossa Senhora, mas cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (não se escandalize, não me mande e-mails, estou brin-can-do).

Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar "the big one", aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo?

Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca... pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio-pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha...

Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascina a todos.

Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham.

Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota.

Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe.

Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada?

Você vai concordar comigo...

Martha Medeiros

sábado, 2 de abril de 2011

Pessoas que machucam sem bater...

É fácil deixar uma pessoa emocionalmente em frangalhos. É só mirar no peito e atirar com palavras. Um dos maiores dramas femininos é a violência dentro de casa. Milhares de mulheres apanham do marido e do namorado.

Não importa se são pobres ou ricas, analfabetas ou cultas: apanham uma, duas, três vezes e, em vez de fazerem a malinha e darem um novo rumo às suas vidas, mantêm-se onde estão, roxas e orgulhosas.

A maioria suporta a situação porque não tem como se sustentar, não tem para onde levar os filhos, elas estão nesse mundo sem pai nem mãe.

Mas há outro motivo curioso: muitas mulheres encaram a surra como um contato íntimo. Na falta de um beijo, aceita-se um tapa. Dói, mas ninguém pode dizer que não existe uma relação a dois. É uma maneira masoquista de se fazer notar, de não se sentir ignorada pelo companheiro.

Apanho, logo existo. Que é medieval, nem se discute.

Mas a humanidade convive há séculos com essas armadilhas, com essas cenas em que cada um interpreta como lhe convém. Podemos nos apiedar de quem sofre maus tratos em nome desse amor fora dos padrões, mas a verdade é que apanhamos todas, todos.

Diga aí quem nunca machucou, quem nunca foi machucado, mesmo sem trazer marcas visíveis. Algumas pessoas são experts em não deixar cicatrizar velhas feridas, em fazer dor no ponto frágil.

Insinuações doem, acusações injustas doem, desapego dói, indiferença, então...

É justamente dentro das relações mais íntimas que se obtêm as melhores armas. A vulnerabilidade é terreno fértil para surras psicológicas. Deixar uma pessoa emocionalmente em frangalhos não é passível de condenação.

Não é crime, não deixa marcas de sangue no tapete. Mira-se no peito, atira-se com palavras, e os estilhaços caem para dentro. A violência física não tem essa premeditação. Ela caracteriza-se pela falta absoluta de controle.

No momento em que se agride alguém com socos e pontapés, atravessa-se a fronteira do racional: vigora a degradação, a selvageria, o fim da civilidade. Por isso, preferimos a agressão verbal, que, apesar de também machucar, ao menos mantém a ordem.

O ideal, no entanto, seria escaparmos ilesos de qualquer brutalidade e convivermos apenas com abraços, sorrisos e palavras gentis, coisa que acontece geralmente, entre quem mal se conhece.

A ternura full time só é comum entre pessoas cujas vidas não se misturam, não trazem conseqüências uma para a outra. Já a intimidade permite que a mágoa brote, transformando rancor em munição.

Mike Tyson ao menos ganhava bem para bater e levar. No ringue, todo mundo perde.

(Martha Medeiros)

O amor que eu nunca fiz

O amor que eu nunca fiz tinha cheiro de pecado
Tinha um monte de carinhos guardados...

Tinha início num simples beijo
Que terminava envolto em milhões de desejos...

O amor que eu nunca fiz era criança
Era alucinado e acalorado
Depois virou adolescente e carente
Mais tarde, um senhor triste e empalhado
Escondido dentro do passado...

O amor que eu nunca fiz
Tinha cheiro de jasmim
Perfume de alecrim...

A cor da aurora
Teria sido um instante de glória
Talvez o começo de uma história...

Chamava por mim
Sempre foi assim...

No silêncio da madrugada
Em alguma hora encantada...

Ele era fantasiado de alegria
Escondido atrás da agonia...

Quente e louco
Perturbado e indisciplinado
Era medroso, cheio de angústias...

Partículas de tormentos
Cheio de instantes e momentos...

O amor que eu nunca fiz
Me chamava, me enfeitiçava
Tentava me levar ao final da estrada
Mas minha fuga
Sempre era alucinada
Fuga de lágrimas, sem palavras...

O amor que eu nunca fiz era gelado
Frio e molhado
Doce e salgado
Fugitivo e enraizado
Seco e atormentado
Imperfeito e arruinado...

O amor que eu nunca fiz
Me deixou marcas
Por toda parte
Por cada pedaço do meu corpo
Nos lábios e no rosto
No peito e na emoção
Na saudade e no coração...

Fugiu de mim
E sempre vai ser assim...

Porque o amor que eu nunca fiz
Riu quando eu não quis
Embora eu saiba
Que dentro do seu coração
Ficou um vácuo
Uma ilusão
Uma estranha sensação...

Mas o amor que eu não fiz
Ainda me atormenta
Ainda me alimenta
Ainda não se satisfaz
Ainda não é capaz...

O amor que eu nunca fiz
De certa forma eu já fiz...

Quando olhei nos seus olhos
Quando beijei a sua boca
Quando fiquei completamente louca...

Quando nas noites de verão
Peguei na sua mão...

Quando o seu corpo encostou no meu
E enlouquecida eu quis o seu...

O amor que eu nunca fiz
Abriu-me uma porta
Iniciou uma história
De derrota e de glória...

De despedida e partida
De amizade sofrida
De paixão, amor e dor...

O amor que eu jamais fiz
Foi nosso peso
Foi nossa medida
Nosso pesadelo
E nossa dívida
Foi nosso desespero
E ficou sendo também
O nosso segredo.

O amor que eu nunca fiz
Foi justamente, de todos...
... o que eu mais quis!

Autoria: Silvana Duboc

O que é o perdão?

Perdão... é a paz que você aprende a sentir quando maltratado ou ferido,
não renúncia ao direito de irar-se;
Perdão... é para você e não para o autor da afronta;
Perdão... é recuperar seu poder;
Perdão... refere-se à sua cura e não à pessoa que o fez sofrer;
Perdão... o ajuda a ter mais controle sobre seus sentimentos.
Perdão... pode melhorar sua saúde física e mental.
Perdão... é uma escolha.

Todos podem aprender a perdoar!

Perdão... não é fechar os olhos para falta de amabilidade;
Perdão... não é esquecer que algo doloroso aconteceu;
Perdão... não é desculpar o mau comportamento;
Perdão... não precisa ser uma experiência religiosa ou sobrenatural;
Perdão... não é negar ou minimizar o seu sofrimento;
Perdão... não significa se reconciliar com o autor da afronta;

Perdoar é simplesmente escolher ignorar,
sem sofrimento,
nem criar mágoa!

Fred Luskin

Perdoando mesmo que em silêncio

"Imagino que para lidar com as diferenças entre nós e as outras pessoas, temos que aprender compaixão, autocontrole, piedade, perdão, simpatia e amor – virtudes sem as quais nem nós, nem o mundo, podemos sobreviver."
(Wendell Berry)



Uma das virtudes mais difíceis de alcançar é a capacidade de perdoar! Perdão de verdade, que não seja da boca para fora, mas vindo do 

Uma das virtudes mais difíceis de alcançar é a capacidade de perdoar! Perdão de verdade, que não seja da boca para fora, mas vindo do coração, mesmo que não seja verbalizado. Perdão que tira do peito todo ressentimento e afasta as amarguras. Perdão que sara as feridas provocadas por alguém ou por acontecimentos do dia-a-dia. Perdão que alivia a vida e nela restaura a paz. Perdão que refaz o estado anterior à dor. Perdão que tranqüiliza a mente e acalma a alma. Perdão que permite abrandar as reações e apaziguar as relações. Perdão que desfaz manchas de mágoas e cicatriza os sofrimentos.

Existem muitas maneiras de definir o perdão, porque o perdão é muitas coisas ao mesmo tempo. É uma decisão, uma atitude, um processo e uma forma de vida. Algo que oferecemos a outras pessoas e algo que aceitamos para nós mesmos.

O perdão é uma decisão, a de ver além dos limites da personalidade de outra pessoa, de seus medos, particularidades, neuroses e erros. A decisão de ver a essência pura, não condicionada por histórias pessoais, que tem uma capacidade ilimitada e sempre é digna de respeito e amor. O perdão é a opção de “ver a luz da lâmpada e não a tela”.

O perdão é uma atitude, que pressupõe estar disposto a aceitar a responsabilidade das próprias percepções, compreendendo que são opções, não fatos objetivos. É a atitude de optar por olhar para uma pessoa que talvez alguém tenha julgado e perceber que na realidade, é algo mais que a pessoa “terrível” ou insensível que vemos.

O perdão é um processo, que exige que mudemos nossas percepções uma vez ou outra. Não é algo que aconteça de uma vez por todas. Nossa visão habitual está obscurecida pelos juízos e percepções do passado projetados no presente. Nisto, as aparências nos enganam com facilidade. Quando optamos por mudar nossa perspectiva por uma visão mais profunda, mais ampla e abrangente, podemos reconhecer e afirmar a maior verdade a respeito de quem somos nós e quem são os demais. Como resultado desta mudança, surgem de um modo natural uma maior compreensão e compaixão por nós mesmos e pelos demais.

O perdão é uma forma de vida que nos converte gradualmente de vítimas de nossas circunstâncias em poderosos e amorosos co-criadores de nossa realidade. Enquanto forma de vida, pressupõe o compromisso de experimentar cada momento livre de percepções passadas, de ver cada instante como algo novo, com clareza e sem temor. É o desaparecimento das percepções que dificultavam nossa capacidade de amar.

Ao perdoar nós nos desvinculamos da tristeza, embora permaneça o registro do que vivemos. Somos capazes de lembrar sem desgosto, e depois de algum tempo, que é curador, tudo poderá ser apenas uma lembrança, nada mais. Isso é caminho para o esquecimento

O verdadeiro perdão não precisa ser dito. Ele deve ser vivido mesmo que o outro não saiba, porque, às vezes, o outro não quer mesmo saber se perdoamos ou não. Isso pode não importar para a outra pessoa, embora tenhamos marca profunda dela, como bicho que tem dono. Enquanto não perdoamos, somos prisioneiros de alguém ou de uma situação. Sem perdoar não nos libertamos.

O perdão é algo que vai além da nossa emoção, não importa se o outro sabe ou não que perdoamos. Perdoamos aqueles que nos importam e os que não têm, absolutamente, nenhum significado para nós. O amor ajuda a perdoar, e perdoamos muito por causa dele. Esquecemos em nome do amor, se é maior do que a dor que nós vivemos. E se a pessoa que nos feriu não nos importa, podemos perdoar, porque, simplesmente, não tem relevância na nossa vida a ponto de cultivarmos por ela qualquer sentimento, nem raiva, ódio, o que seja. Nós perdoamos quem amamos para desviar do ressentimento e para reconstituir e reforçar os laços que nos unem a essas pessoas. Com aquelas outras não há laços, elas não têm significado para nós. Melhor perdoar e esquecer.

O perdão flui quando conseguimos restaurar o nosso estado de felicidade, quando recuperamos o que tínhamos antes, mesmo que não seja igual ao que perdemos, e que até pode ser melhor. Quando temos de volta em nossas mãos o que nos foi tirado, nós perdoamos a quem nos tirou, ainda que não seja essa a pessoa a trazer de volta o que era nosso. Nós perdoamos quando sentimos que a vida nos devolveu o que estava perdido. É uma sensação de justiça, ainda que tardia e por outro caminho.
Daí a importância da felicidade, que é a melhor de todas as vinganças, senão a única. A felicidade nos mostra que vale a pena perdoar não só os outros, mas a nós também. Afinal, se não nos perdoamos, jamais saberemos como faz bem o perdão que se dá ao outro, mesmo que em silêncio.amos quando sentimos que a vida nos devolveu o que estava perdido. É

Perdoando mesmo que em silêncio

"Imagino que para lidar com as diferenças entre nós e as outras pessoas, temos que aprender compaixão, autocontrole, piedade, perdão, simpatia e amor – virtudes sem as quais nem nós, nem o mundo, podemos sobreviver."
(Wendell Berry) uma sensação de justiça, ainda que tardia e por outro caminho.

Daí a importância da felicidade, que é a melhor de todas as vinganças, senão a única. A felicidade nos mostra que vale a pena perdoar não só os outros, mas a nós também. Afinal, se não nos perdoamos, jamais saberemos como faz bem o perdão que se dá ao outro, mesmo que em silêncio.